No passado dia 14 de junho, a LDC comemorou o seu 17º aniversário. Para marcar a comemoração da data, os franchisados, colaboradores e parceiros da marca foram presenteados com uma viagem no Tejo, a bordo do veleiro Leão Holandês, onde puderam reforçar o espírito de equipa, tendo como cenário o maravilhoso pôr-do-sol lisboeta.
Paulo Antunes aproveitou a ocasião para reforçar que o balanço destes 17 anos é extremamente positivo, até porque “nascemos em 2002, numa realidade em que a administração de condomínios era uma atividade marginal e onde muito poucas empresas o faziam de forma exclusiva. Nos primeiros seis meses abrimos 10 unidades, trazendo uma lufada de ar fresco ao setor, com tecnologia, formação e transparência. Em suma, conseguimos oferecer o serviço de que os condomínios necessitavam e as ferramentas de que as empresas precisavam para poderem entregar um serviço de qualidade”.
Reconhecendo que, passados 17 anos, o mercado apresenta agora uma franca evolução, caracterizando-se por um crescimento exponencial e por serviços cada vez mais profissionais, Paulo Antunes adianta que “a LDC tem marcado o ritmo enquanto líder de mercado, apostando num serviço cada vez mais próximo dos seus clientes, onde a inovação e o desenvolvimento de novas soluções tecnológicas são um pilar basilar. Hoje, e através da APP MyLDC, os nossos clientes acedem a toda a informação do seu condomínio em tempo real, podendo consultar as faturas dos fornecedores do seu condomínio ou até comunicar uma qualquer anomalia”.
No entanto, esta liderança da marca LDC tem sido conseguida com alguns desafios. O maior de todos, refere Paulo Antunes, “é o de trabalhar num setor desregulado e onde ainda impera a economia paralela, obrigando a um esforço imenso no sentido da autorregulação e da transparência. Estamos a falar da habitação da maioria das  famílias portuguesas, da manutenção e da requalificação de um parque urbano imenso, muito dele com mais de 30 anos, e onde o administrador de condomínios tem um papel fundamental na sua gestão, e principalmente, na execução de um conjunto de ações que permitam que o investimento que as famílias fazem na sua habitação se mantenha ou possa até crescer”.
Sabe-se que o impacto das condições de preservação do condomínio no valor das frações e no bem-estar das famílias é imenso mas, apesar disto tudo, o CEO da LDC relembra que “os sucessivos governos continuam sem uma visão estratégica para o parque habitacional do nosso país, mantendo-se a administração de condomínios a ser feita ao abrigo de uma legislação desadequada e que não serve os interesses dos condóminos nem do país”.
No entanto, se este tem sido, até à data, o maior desafio, Paulo Antunes reconhece que tem sido também uma oportunidade “no sentido de desenvolvermos um conjunto de estratégias diferenciadoras que são hoje muito da identidade da LDC”.
Uma identidade que ajudou a construir a marca inovadora e líder que a LDC se orgulha de ser hoje.
Voltar