Mudou a estação do ano e surge, então, a necessidade de se reorganizar a casa e as roupas? Se sim, nada melhor do que percebermos quais são as dicas que Marie Kondo apresenta para esta área. Até porque, se ainda não ouviu este nome, saiba que estamos a falar de uma especialista japonesa que, para além de já ter escrito quatro livros sobre o tema, foi considerada pela revista Times como uma das 100 pessoas mais influentes do planeta e é uma das atuais maiores estrelas televisivas com o programa ‘ordem na casa com Marie Kondo’, que figura nos programas mais vistos da Netflix.
A limpeza e organização da casa é mais importante do que aquilo que podemos, à partida, pensar, podendo inclusivamente influenciar a nossa saúde mental e até física – afinal, o pó acumulado e a sujidade tantas vezes ‘invisível’ são verdadeiros aliados de doenças tão variadas quanto as respiratórias. Marie Kondo pega precisamente nesta premissa, aliada às crenças e tradições orientais, onde o Feng shui também é considerado. Segundo esta especialista, o importante é que, para além de termos a casa organizada, nos sintamos realmente bem no local que escolhemos para viver.
E a organização não tem de ser um processo moroso nem muito complicado, bastando, para isso, que sigamos sete dicas:
1- É PARA FAZER? ENTÃO FAÇA JÁ!
A regra aqui é dizer não à procrastinação – ou seja, àquela coisa de dizermos que temos de organizar a casa, mas, como não é um tema prioritário, deixamos a tarefa arrastar-se por dias, semanas e meses infindos. Se é para fazer, defina um dia e faça-o. Mas faça-o com a certeza de que, salvo se houver um imprevisto urgente, consegue levar a tarefa a cabo até ao fim. Tire uma manhã ou uma tarde e alheie-se de potenciais distrações, já que o foco é, então, a palavra de ordem.
2- ESQUEÇA A COMPARTIMENTAÇÃO DAS TAREFAS
Há uma corrente que defende que devemos organizar a casa por áreas – um dia o quarto, noutro dia a sala, noutro a cozinha. Mas, segundo a especialista Marie Kondo, esta estratégia apenas arrasta a organização geral da casa, pelo que devemos organizar, sempre que possível, todas as divisões no mesmo dia (até porque, se pensar bem, há divisões que se relacionam e cujos objetos podem inclusivamente circular de um espaço para outro).
3- DE QUE É QUEPRECISA REALMENTE?
Esta é uma regra de ouro: mantenha apenas aquilo de que realmente precisa ou que, por motivos emocionais, quer mesmo guardar. O resto é acessório e deve ser reciclado, dado ou guardado numa zona que não influencie a boa organização da casa (como uma arrecadação).
4- NÃO ACUMULE!
Parece uma repetição do ponto anterior, mas não é. Até porque pode considerar que precisa mesmo dos 12 serviços de talheres que tem em casa. Mas a verdade é que, se pensar bem, só usa dois ou três ao longo do ano. Por isso, é preciso encaixotar os restantes e distribuí-los por aqueles amigos ou familiares a quem esses talheres vão ser realmente bastante úteis.
5- COMECE PELO MAIS FÁCIL.
Tem um armário cheio de documentos e materiais difíceis de triar e arquivar? Então deixe-os para o fim. No início deve assumir as tarefas mais simples e rápidas, como a troca de roupas para a nova estação ou a organização dos armários dos talheres e das panelas. O mais complexo deve ficar para quando já tiver a maior parte da tarefa concluída – o que lhe deixará maior motivação e também mais disponibilidade de tempo (e de espaço!) para gerir aquilo que é mais trabalhoso.
6- NÃO EMPILHE OBJETOS!
Marie Kondo defende que a boa organização do espaço é o oposto de empilhar roupas e objetos – mesmo que, esteticamente, essa lhe pareça uma boa opção. O ideal é ter tudo visível, para que o acesso a esses mesmo bens seja o mais rápido e imediato possível. Para além disso, é importante que tudo seja organizado por categorias – por exemplo, no roupeiro pode organizar as peças de vestuário por categorias tão diversas quanto: ‘roupa para trabalhar’, ‘roupa de fim de semana’, ‘roupa para desporto’, etc.
7- FAÇA DA ORGANIZAÇÃO UM HÁBITO
A organização do lar, se for feita diariamente, acaba por revelar-se uma rotina saudável e positiva – para além de que evita que, nas arrumações semanais ou mensais, se gaste tanto tempo desnecessariamente. Todos os dias, ao chegar a casa ou antes de se deitar, basta organizar o que vai naturalmente ficando ‘fora do sítio’.
Como se pode perceber, estas sete dicas são o suficiente para que se consiga que a casa se mantenha arrumada, organizada e com energia positiva!
Voltar