Como evitar conflitos no condomínio
Efetue a
sua pesquisa
Descubra uma
loja perto de si

Notícias

Esteja a par de todas as novidades sobre a Loja do Condomínio e sobre Administração de Condomínios

Como evitar conflitos no condomínio

Notícias do Condomínio

Visto: 4450 vezes
24 de Setembro 2013
Como evitar conflitos no condomínio
Imagine que após um longo dia de trabalho chega finalmente a hora de ir dormir. Deita-se confortavelmente na cama… e não consegue dormir com o barulho que vem da casa do vizinho de cima. Pode ser uma máquina de lavar roupa, a televisão, música ou o arrastar de objetos. Ou algo ainda pior.

A sua reação a este incómodo pode mudar-lhe a vida. Basta que se deixe dominar pela irritação e reaja de forma destemperada quando se levantar da cama e for bater à porta do vizinho. Ou que, mesmo que o seu pedido de silêncio tenha sido feito de forma educada e calma, o seu vizinho esteja numa “ noite não” e decida responder com insultos e ameaças.

As desavenças tendem a piorar quando o condomínio não funciona bem, uma situação que decorre muitas vezes da falta de participação dos condóminos. Sem esta, as assembleias não têm o quórum necessário para que se tomem as decisões necessárias à resolução e prevenção dos conflitos. Gera-se assim um ciclo vicioso: os conflitos geram falta de colaboração e a falta de colaboração gera mais conflitos.

Para que a vida no condomínio seja mais sossegada há que cumprir algumas regras de civismo e respeitar os direitos de todos. Um dos mais importantes em qualquer edifício é o do descanso. Uma das formas mais seguras de ter todos os vizinhos contra si é fazer barulho em horas pouco apropriadas – e lembre-se que nem toda a gente trabalha de dia e dorme de noite.

Outro princípio importante é respeitar a propriedade alheia. Tenha cuidado com os objetos deixados nas áreas comuns, mas também evite deixá-los lá. Lembre-se que esses espaços devem estar desimpedidos, porque são essenciais à segurança das pessoas.

Acima de tudo, aja com cortesia, mesmo que, da outra parte, não esteja a existir um comportamento semelhante. Não entre numa escalada de conflitos com alguém que vive mesmo ao seu lado, e que, com toda a probabilidade, não se vai mudar tão cedo. Lembre-se que os conflitos com vizinhos tendem a ser longos, intensos e fortemente prejudiciais à sua saúde e bem-estar.

Desarmadilhe a situação. É melhor para todos.
  • Comentários Comentários a esta notícia ( 0 )

Pesquisar Noticias

Categorias

Tags

Notícias do Condomínio

Jornal

Nº 57 - ABR-JUN

Notícias do Condomínio