Como reconverter o seu negócio em franchising | Loja do Condomínio
Efetue a
sua pesquisa
Descubra uma
loja perto de si


Notícias

Esteja a par de todas as novidades sobre a Loja do Condomínio e sobre Administração de Condomínios

Como reconverter o seu negócio em franchising?

Clipping

Visto: 571 vezes
27 de Setembro 2018
Como reconverter o seu negócio em franchising?
Fomos falar com franchisados que já tinham empresas na mesma área antes de se juntarem a uma rede e todos consideram que aderir a um franchising foi uma boa opção, mesmo os que admitem que o negócio não está a correr de acordo com as expetativas. As principais vantagens são a imagem, organização, procedimentos, ferramentas, publicidade ou marcas disponíveis e não apontam desvantagens significativas.

“O franchising é uma forma de podermos iniciar um projeto já com 50% do trabalho feito faltando, no entanto, os outros 50% são os mais trabalhosos, pois trata-se de angariar os clientes e colocar a ‘máquina’ a mexer. No entanto, é uma boa opção”, defende Rui Sousa. O franchisado da Esinow de Almeirim, Matosinhos e Penafiel frisa ainda que “quando se adere a um franchising muitas pessoas pensam que está tudo feito e que os clientes nos vão entrar porta dentro sem fazermos nada, é errado pensar assim. O franchising traz-nos muitas ajudas, mas há trabalho, essencialmente comercial, a fazer”.

No mesmo sentido vai o alerta de Agostinho Gonçalves, da Charib do Funchal: “é sempre importante referir que não existem soluções milagrosas e que é errado pensar que aderir a um franchising substituirá todo o trabalho que certamente já desenvolve na sua empresa”.

Depois destes lembretes, salientamos que a principal conclusão, seja de franchisados há mais de duas décadas e que, entretanto, já abriram novas lojas na rede, ou de recém-chegados ao franchising, é que aderir a uma rede de franchising ajuda a potenciar o negócio. Senão vejamos algumas das suas histórias, contadas na primeira pessoa.

Necessidade de crescer

João Paulo Santos, franchisado da Loja do Condomínio (LDC) de Perosinho, Vila Nova de Gaia, e já no seu segundo contrato, conta à NEGÓCIOS & FRANCHISING que “tinha o negócio há quatro anos e na mesma zona. Mantive a zona. Só que funcionava de forma caseira e sem porta aberta. Isto trazia um crescimento muito lento e penoso. Sentia a necessidade de ter um espaço e imagem para poder crescer. Entre criar uma imagem e desenvolver o negócio sozinho, decidi aderir à rede da LDC depois de ouvir falar e investigar, tanto a LDC como outros franchisings. Na altura consegui verificar que a LDC tinha tudo o que eu pensava que precisava para expandir o negócio, mas que sozinho não conseguia ou pelo menos seria muito difícil”.

in Infofranchising.pt

  • Comentários Comentários a esta notícia ( 0 )

Pesquisar Noticias

Categorias

Tags

Notícias do Condomínio

Jornal

Nº 62 - JUL - SET 2019

Notícias do Condomínio